segunda-feira, 17 de junho de 2013

A velha e a moça

-Faz quanto tempo que ele se foi?
- Mais de 10 anos.
- Eu sei como é o vazio que deixam quando se vão, é como um furo em um vestido de seda, jamais será consertado. Eu já perdi pessoas muito importantes em minha vida, e o sentimento de vazio é eterno.
- Porque você é materialista. Ser humano é materialista. Nos importamos muito com sentidos superficiais. Queremos ver, pegar e nos importamos pouco em sentir. Não lamento por ele ter ido, ele cumpriu o papel dele na vida dele, e na minha, chegou a hora ele tinha mais era que ir mesmo. Quando chegar a minha hora não quero ninguém lamentando, é por isso que deixo sempre claro o que me agrada e o que me desagrada, para que minha passagem seja satisfatória pra mim, e para os outros.
- Eu nunca havia olhado desse ângulo.
- Eu não culpo você... Fomos criados para querer cada vez mais, não nos ensinaram-nos a deixar passar, não nos mostraram que é só passagem, fazem com que imaginamos que tudo o que temos é isso, e temos de nos agarrar ao "isso" seja lá o que ele for. Eu demorei 75 anos para aprender, agora eu posso te transmitir com a segurança de quem aceita que a mais clichês das frases é puramente verdadeira: "tudo na vida tem que passar".
- obrigada, e quando for, vá em paz.
- obrigada, e enquanto fica, preste a atenção ao que não cabe em fotografias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário